O que a polêmica da mexerica/tangerina descascada pode ensinar?

por Bruno Cavalcante

wpid-mexerica.jpgO que pensar sobre a nova polêmica surgida nas redes sociais nos últimos dias? Um supermercado vendendo mexerica descascada e diversos comentários sobre como as pessoas estavam lucrando com qualquer coisa, como um mexerica ganha um preço mais alto ao ser descascado e etc.

O fato em questão é que as pessoas não entendem como funciona a atividade empresarial, para você fazer dinheiro e o seu comercio dar certo, você não precisa necessariamente descobrir uma formula fantástica ou criar uma maquina do tempo, você só precisa identificar onde há uma demanda latente e ofertar o seu serviço/produto (e isso constantemente, pois novos produtos sempre irão surgir para concorrer pela preferência do consumidor). As pessoas que valorarem o mexerica descascado mais do que ele com casca irão aceitar pagar um preço superior em troca de poupar alguns segundos da sua vida, para uma coisa mais útil.

É aquela velha história de um cirurgião que acha mais conveniente contratar alguém para fazer a limpeza da sala de operação e dos instrumentos, embora ele mesmo fosse mais eficiente também nesta tarefa. Desta maneira ele pode se dedicar exclusivamente à cirurgia, atividade em que sua habilidade é superior. O cirurgião pode empregar o seu tempo de trabalho, que é limitado, para realizar operações pelas quais ele recebe 50 dólares/hora, então é de seu interesse empregar um ajudante para manter seus instrumentos em ordem, pagando-lhe 2 dólares por hora, embora este ajudante necessite de três horas para fazer o que o cirurgião faria em uma hora.

Esse é o fenômeno da divisão do trabalho, somente após a intensidade deste fenômeno ter aumentado exponencialmente, a humanidade pôde viver em maior conforto. Inclusive, os teóricos anticapitalistas puderam ter mais tempo para se dedicarem a escrever seus livros. Alguns séculos atrás, o homem que não saísse de manhã para caçar, morreria antes do entardecer, com fome. Karl Marx não teria tempo para escrever seus livros com enormes falhas de lógica, se outras pessoas não ficassem encarregadas de lhe prestarem serviços em troca de dinheiro.

Ao se dedicar ao que as pessoas mais valoram, cada um numa economia de mercado atende cada vez mais as necessidades mais urgentes dos demais, com isso lucram mais e podem investir cada vez mais (o investimento ao visar maiores retornos também é direcionado para onde há maior necessidade – de acordo com a previsão do investidor). O processo de mercado é, portanto, um processo onde todos ganham e onde toda a produção só existe em função dos consumidores. Todos somos ao mesmo tempo empresários, capitalistas, consumidores e empregados.

A ação empresarial é um processo de descobrimento, qualquer novo produto no mercado ao deixar de servir ao consumidor não será vendido e o empresario terá prejuízo, sinalizando que ele errou suas previsões da preferência do consumidor. Onde houver um desajuste, ou uma forma de poupar o tempo das pessoas, lá a atividade empresarial irá agir e vender soluções, por isto o capitalismo é superior a qualquer forma de organização social! No capitalismo todos estão constantemente solucionando problemas de todos, direcionados pelo único sistema eficiente de descoberta, o sistema de preços e o cálculo econômico.

Notícia da polêmica: http://extra.globo.com/noticias/viral/polemica-da-mexerica-tangerina-descascada-ganha-as-redes-sociais-16752485.html


Bruno Cavalcante é estudante de economia na PUC-SP e anarcocapitalista.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s