O livre-mercado na África pré-colonial

por George Ayittey   A África continua sendo um paradoxo enigmático: um continente rico em recursos minerais, mas ainda desesperadamente pobre. Mas o paradoxo é apenas superficial: a África é pobre porque não é livre. Somente 10 dos 54 países africanos podem ser considerados com histórias econômicas de sucesso: Angola, Benin, Botsuana, Gana, Madagascar, Malawi,…

Os primórdios do setor elétrico no Brasil – o mercado fornecia, o governo atrapalhava

por Victor Hugo Lima do Nascimento Nota do Editor: o artigo a seguir faz um resumo desta monografia de Alexandre Macchione Saes, professor doutor da Universidade Federal de Alfenas.  Toda a bibliografia está disponível na monografia original.   A eletricidade surgiu no Brasil em 1879, exatamente na mesma época em que também era adotada nos…

Nova Tradução – Os Governos são as Úlceras das Sociedades – Gustave de Molinari (1863)

Por Gustave de Molinari “O indivíduo permanece completamente soberano somente sob um regime de total liberdade. Cada monopólio, cada privilégio é um ataque a sua soberania.” Gustave de Molinari Tradução por Ramon Caria de Morais e Revisado por Uriel Carrano Gustave de Molinari foi o primeiro economista do laissez faire a defender o fim do monopólio da…

OCUPEM AS ESCOLAS!

Por Uriel Carrano  “A história do desenvolvimento da educação obrigatória é uma história da usurpação estatal do controle dos pais sobre seus filhos para o próprio bem do estado; uma imposição de uniformidade e igualdade para reprimir o crescimento individual; e o desenvolvimento de técnicas para impedir o crescimento do poder de raciocínio e do…

As raízes socialistas do nazismo

Por Daniel Hannan Em 16 de junho de 1941, quando Hitler preparava suas forças para a Operação Barbarossa, Josef Goebbels aguardava com expectativa a nova ordem que os nazistas iriam impor à uma Rússia conquistada. Não haveria represálias, escreveu ele, para os capitalistas, nem sacerdotes, nem czares. Pelo contrário, no lugar do degradante bolchevismo judaico, a…

Voluntarismo: Anarquia, liberdade e eficiência

por João Pedro Gomes Barbosa No século XVIII o direito tinha um enfoque individualista, racionalista e totalmente anárquico, no sentido de que rejeitava a proposta estatal pautada no absolutismo, que representava o poder monopolístico da criação das leis na figura do monarca. O maior filósofo representante dessa tradição é indiscutivelmente Kant, que desenvolveu um pensamento…