“Trabalhadores isolados são muito fracos para barganhar junto às empresas…”

Por Austroanarquistas Esse clichê foi publicado recentemente na mídia impressa mais ou menos como segue: a deficiência óbvia da teoria do laissez-faire foi que um trabalhador isolado, com suas obrigações familiares e sua falta de mobilidade para procurar emprego, não tinha igual poder de barganha junto as cada vez mais centralizadas indústrias. Não existe, provavelmente,…

Os “direitos” do trabalhador brasileiro

por Hiago Luiz É difícil defender o livre mercado nos dias de hoje. Pedras são atiradas de todos os lados: “Neoliberal!!! Fascista!!! Umbiguista!!” Esses são só alguns dos adjetivos que são atribuídos a você caso mencione que, por exemplo, os “direitos” trabalhistas são um roubo ao trabalhador e deveriam deixar de existir. Não, os liberais…

O mercado, e não os sindicatos, nos propiciou o lazer e o descanso

por Thomas DiLorenzo   Em seu livro Ação Humana, Ludwig von Mises escreveu que os sindicatos sempre foram a fonte primária de propaganda anticapitalista.  Lembrei-me disso recentemente ao ver um adesivo de pára-choque aclamando um dos credos fundamentais do sindicalismo: “O movimento sindical: as pessoas que lhe trouxeram o fim de semana”.Não exatamente.  Nas últimas décadas…

Quem perde com os impostos ao empreendedor?

por Ricardo Alonso Em seu livro “O que se vê e o que não se vê”, o francês Frederic Bastiat busca nos esclarecer a ideia de que, quando temos um martelo em mãos, todas as coisas a nossa volta se parecem com pregos, e que, na maioria das vezes, tratar os problemas sociais com leis…

Como Getúlio Vargas roubou o Dia do Trabalho

por Valdenor Júnior Desde a adoção pela Segunda Internacional do 1º de Maio como Dia do Trabalho, em apoio à campanha dos sindicatos de Chicago, nos EUA, pela jornada de 8 horas que havia sido reprimida em 1886, o 1º de Maio se tornou uma questão politicamente sensível para os governos do final do século…